• denuncias
  • peticionamento
  • protocolo
  • Mediação
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario
  • .
  • Confira o passo a passo de como fazer uma denúncia ao MPT.
  • MPT apoia campanha contra a violência doméstica
  • Acesse o MPTTV - Paraíba
  • CONFIRA DOCUMENTOS E NORMAS DE SEGURANÇA
  • ACESSE AQUI O SERVIÇO
  • Confira aqui a atuação do MPT-PB na pandemia do novo Coronavírus
  • Acompanhe aqui as notas técnicas e recomendações do MPT
  • Covid-19: agora mais do que nunca, protejam crianças e adolescentes do trabalho infantil

MPT intima prefeita de Bayeux sobre denúncia de assédio moral

30/04/2021 – O procurador do Ministério Público do Trabalho na Paraíba, Eduardo Varandas, intimou a prefeita de Bayeux, na Grande João Pessoa, Luciene Gomes, para prestar esclarecimentos sobre denúncia de que teria fixado cartaz na porta de um hospital da cidade, com aviso no qual pedia que a população denunciasse se fosse mal atendida pelos profissionais de saúde do município. A gestora foi notificada, nessa quinta-feira (29), para uma audiência por videoconferência, na próxima quarta-feira (05/05), às 15h30.

 
O caso aconteceu em janeiro deste ano e ganhou repercussão na imprensa local, após denúncia feita pelo Sindicato dos Médicos da Paraíba (Simed), que afirmou que o cartaz feito pela gestora se tratava de “assédio moral”, com “ameaça ostensiva contra os profissionais de saúde” e pediu que o Ministério Público do Trabalho (MPT) apurasse o caso.
 
“Você que é funcionário do hospital pago com recursos públicos, trate bem as pessoas, se não for para atender bem o paciente, não venha trabalhar ou peça exoneração. Ninguém procura hospital para passear, com certeza, tem alguma necessidade”, dizia mensagem colocada na porta de hospital de Bayeux.
 
Segundo o procurador do Trabalho Eduardo Varandas, a Câmara de Coordenação e Revisão do MPT determinou apuração do caso, afirmando que o ato da prefeita poderia se configurar ‘assédio moral organizacional no ambiente de trabalho’ e, portanto, de competência do Ministério Público do Trabalho.
 
“Intimamos a prefeita para uma audiência por videoconferência, a fim de verificar se a prática ainda remanesce ou se há qualquer tipo de situação assediante em face da prefeitura”, afirmou o procurador do Trabalho Eduardo Varandas.
 
card intimacaobyx
card intimacaobyx
 
 
Ascom/MPT-PB.

Imprimir

  • banner pcdlegal
  • banner abnt
  • banner corrupcao
  • banner mptambiental
  • banner transparencia
  • banner radio
  • banner trabalholegal
  • bunner yt ok
  • Portal de Direitos Coletivos
  • nr